Buscar
  • Luo Pan

O Armário e os Furacões

Atualizado: Abr 5

Todo mundo tem um armário e nele guarda uma variedade de coisas: itens pessoais, presentes, aquela roupa que usa uma vez por ano, aquele amuleto e outras preciosidades, e aquelas coisas que nem lembra como foram parar lá. Depende um pouco do estilo de vida, do perfil e das preferências de cada um, mas invariavelmente chega um dia em que se tem que organizar esse armário. Às vezes essa necessidade de organização vem de dentro de si, às vezes sugerida por algum terceiro, imposta pelas leis da convivência, ou é uma necessidade trazida por uma mudança ou uma viagem. Mas às vezes, um furacão atravessa a vida e não só tira tudo do lugar, como também desmonta o armário inteiro.


da série "Mulheres Gavetas" de Salvador Dali

O choque de ver tudo que se construiu durante anos jogado, espalhado, quebrado, estraçalhado é brutal...Paralisa. Fica tudo quase irreconhecível, mal se identificam as peças...As lembranças de como tudo era antes imediatamente invadem os pensamentos e a dor toma conta do corpo e escurece a visão. O que muitas vezes acontece depois, é que o choque é tamanho, que vamos andando pelos escombros pegando o que conseguimos nas mãos até não termos mais como carregar. O ímpeto de reconstruir tudo, de consertar o que se quebrou, de limpar e organizar tudo, só para ter de novo um vislumbre do conhecido, assume nossas ações e ficamos perdidos com uma montanha de coisas nos braços, sem conseguir prosseguir. A verdade é que estamos ali, sem saber exatamente por onde começar.... Por onde recomeçar.


Recomeçar exige energia, planejamento e foco. Precisamos nos recompor antes de qualquer outra coisa. Precisamos legitimar os sentimentos, viver o “luto” das perdas, liberar o passado, aceitar o presente para então agirmos. Adianta pouco seguirmos juntando os pedaços, as peças, fingindo que não estamos sentindo dor, fingindo que não faz diferença, ignorando... negando. O que não se dá espaço para sentir, forçará um espaço em médio prazo com mais intensidade, aumentando a dor. A vida é movimento, é dança da luz e sombra, é fluxo do ir e vir, do dar e tomar, do ganhar e perder. É preciso dar espaço para o sentir, mantendo isso em mente. Respirar, dar um tempo para o nosso sistema se refazer é necessário! Somente assim é possível silenciar as vozes externas, os barulhos e distrações do caos para ouvir a nós mesmos. E ouvir a nós mesmos é essencial.


O armário resistiu? O que mais ainda está “de pé”? Quais peças eu ainda quero usar? Quais dessas eu consigo recuperar? O que eu vou doar? Desses questionamentos saem inúmeros aprendizados, percebemos que não usávamos alguns itens há muitos anos, alguns que se encontram nos escombros tinham sido até esquecidos, outros nem eram assim tão queridos por nós. Desapego. Agora sim é hora de recomeçar!


O planejamento orienta a ação: depois da limpeza, remontar o armário...Primeiro a base, então o fundo, as prateleiras, as gavetas e as portas. Respirar! É uma das coisas mais importantes para nos ajudar a integrar o movimento.

E o que vem depois? Depois, é organizar os itens: as roupas de inverno separadas das de verão, as rasgadas das inteiras... As caixas identificadas para doação, reparo e descarte. E mais uma vez é importante respirar! Respirar, agradecer e entregar! Agora é hora de organizar o que ficou.


da série "Mulheres Gavetas" de Salvador Dali

Uma gaveta de cada vez! É permitido organizar uma prateleira por dia, ou levar uma semana para decidir onde vão ficar os sapatos. Respire! O nosso sistema precisa de tempo para integrar o que vai sendo ajustado. Fazer tudo no seu próprio ritmo facilita o processo. E assim, aos poucos, o armário vai sendo ocupado, tomando forma, nova forma. Alguns itens conhecidos estão ainda lá, mas agora organizados de maneira diferente. As gavetas cada uma em seu lugar, alguns espaços livres deixam a brisa suave passar abrindo novas possibilidades. E é tudo novo de novo. ✨











Este texto é dedicado a todos aqueles que já passaram ou estão passando por “furacões”. Uma gaveta de cada vez! ;)





Renata Ayra é terapeuta complementar há mais de 15 anos, com uma formação ampla que vai da Administração de Empresas, Massoterapia Chinesa, às terapias de ambientes em que é especializada, até a Programação Neurolinguística e a Constelação Sistêmica Familiar. Criadora do curso de Formação em Feng Shui Clássico e Astrologia Chinesa Luo Pan, realiza oficinas e vivências focadas na harmonização de ambientes e no alinhamento e equilíbrio pessoal. Atualmente, além de realizar atendimentos individuais e vivências, atua na produção de viagens guiadas, eventos na área terapêutica, é cofundadora da Luo Pan Artes e Ciências Orientais.


Renata Ayra – Atendimentos Individuais - Oficinas - Vivências http://www.luopanconsultoria.com / renata@luopanconsultoria.com

41 9 9116-9245 (whatsapp)







68 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo